Marido da prefeita de Itagimirim chama munícipes de “otarinho”, “otarinha” e sai em defesa da gestora

Marido da prefeita de Itagimirim chama munícipes de “otarinho”, “otarinha” e sai em defesa da gestora

- EmDestaques
Share Button

O ex-prefeito de Itagimirim e também marido da atual prefeita do município, Giovanni Brillantino, saiu em defesa da gestora, Devanir dos Santos Brillantino, e utilizou-se de palavras de baixo calão como “otarinho”, “otarinha” para se referir ao povo da cidade em entrevista concedida nesta quinta-feira (13) à Rádio Estação FM.

Na mesma entrevista, a atitude de desespero do marido da prefeita se deve ao fato do momento de crise administrativa e política vivido pela atual gestora na condução da administração municipal considerada por muitos “fracassada”.

De acordo com o conteúdo da entrevista repercutida pela Estação FM, o ex-gestor e cônjuge tenta demonstrar força para fortalecer os seus aliados que, segundo publicação pelas redes sociais, “já andam desconfiados que o buraco do barco não tem durepox que tampe”.

Durante a entrevista, o marido da prefeita de Itagimirim partiu para os intensos ataques no mesmo programa de rádio, demonstrando total descontrole ao citar questões voltadas na tentativa de desqualificar os seus opositores com argumentos e acusações sem fundamentos e sem apresentar nenhuma prova.

Neste sentido, o ex-prefeito defende o nome de sua mulher que, mesmo em baixa e com sinais de grande fragilidade, disparou ataques na tentativa de “queimar os adversários”.

Até os próprios munícipes sofrem retaliação por parte do marido da prefeita Devanir que usou o microfone da emissora para denegrir a população chamando de “otarinho” e otarinha” e ainda, segundo populares, de querer amedrontar, inclusive, através da justiça os munícipes que fazem críticas negativas contra o governo de sua mulher na tentativa de coibir qualquer tipo de reação do povo contra a atual gestão municipal.

“Qualquer coisa que a Prefeitura coloca na página dela, ai vem um ‘otarinho’ ou uma ‘otarinha’ e bota: ‘não fez mais do que obrigação’”, afrontou o ex-prefeito.

As declarações infelizes do “primeiro-damo” colocam ainda mais na berlinda o péssimo governo da sua mulher, a prefeita Devanir. Em mais uma demonstração de completo desespero, o ex-prefeito diz que se não existir alguém que tenha condições, no ponto de vista dele, de administrar a cidade, existe a possibilidade do mesmo ser candidato diante do momento político desfavorável para a atual gestora, mas, ao mesmo tempo, não descartou o nome dela para disputar à reeleição.

O lamentável episódio do fechamento de duas escolas municipais nos últimos dias aprofunda ainda mais a crise administrativa e política em torno da atual prefeita do município e do seu grupo político.

Processos/Nepotismo

Giovanni Brillantino fala na mesma entrevista sobre o ex-deputado federal José Carlos Araújo, do PR (nome antigo do partido, atualmente PL), que o considera como seu forte aliado político e também declara que já foi alvo de condenação por vários processos.

Derrotado na última eleição, o agora ex-deputado, a quem o ex-prefeito de Itagimirim tem uma intensa ligação política, à época em que era parlamentar, alocou em seu gabinete, em Brasília, Giovanni Brillantino Filho, filho da prefeita de Itagimirim, Devanir Brillantino (PMDB), como secretário parlamentar, nível 6, conforme matéria produzida pelo site Bahia.ba, publicada no dia 14 de dezembro de 2017 (https://bahia.ba/politica/jose-carlos-araujo-aloca-filho-de-prefeita-acusada-de-nepotismo/).

Segundo a matéria do mesmo site, em novembro do mesmo ano, Giovanni foi exonerado do cargo de secretário de Assistência Social do município, após recomendação do Ministério Público da Bahia (MP-BA).

O promotor Dinalmari Mendonça Messias, autor da recomendação, afirmou que Giovanni não possuía “habilitação técnica” para ocupar o cargo, pois jamais “trabalhou em qualquer área da Secretaria de Assistência Social”.

No início do mesmo ano (2017), também por recomendação do MP-BA, Devanir exonerou seu marido, Giovanni Brillantino, dos cargos de secretário municipal de Educação e de Governo. Brillantino foi prefeito da cidade por dois mandatos seguidos e estava com os direitos políticos suspensos.

 

Facebook comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *